Guardiões da Antiga Arte

I - Crenças

1. A crença, prática e liturgia da Tradição Guardiões da Antiga Arte tem como alicerce basilar a fundamentação das Tradições pagãs de forma mitológica, folclórica, antropológica e histórica.

2. Cremos na singularidade da cada deusa e cada deus, ou seja, cada divindade é única. Podendo, de acordo com a hierarquia divina, haverem deuses maiores e menores. Em cada Tradição existem os Seres ou Deuses Primordiais que foram responsáveis pelo surgimento das gerações posteriores de deuses, o que consequentemente favoreceu o surgimento da humanidade.

3. Cremos na harmonia plena que existe na diversidade politeísta.  Buscamos a harmonia, e compreendemos que  a harmonia anula as referencias a competitividade, guerras, forças opostas e  que a existência não se divide em dois apenas (feminino e masculino) e que existem diversas diferenças além do que envolve o gênero e que devemos entender e respeitar a pluralidade dos seres, dos deuses, dos mundos e da própria existência.

4. Nosso princípio de honra primordial é a frase “Harmonia, lealdade e confiança”.

5. Somos contrários a neo-sincretismos (sincretismos não históricos), respeitamos a singularidade de cada Tradição, de cada divindade e de cada panteão. Partindo desse entendimento somos politeístas.

6. Priorizamos e zelamos pelos costumes tradicionais evitando modificações modernas, mas apenas adaptando os antigos costumes as leis sociais da contemporaneidade. Nosso tradicionalismo está atrelado a cinco tradições específicas: celta, nórdica, egípcia, helênica e romana.

7. Praticamos a Feitiçaria de modo a optarmos por ações que estejam de acordo com a nossa máxima geral “Respeito à diversidade, liberdade e justiça!”.

8. Essa tradição tem como base antigas religiões (ou tradições).

9. Cremos que a natureza é sagrada e deve ser preservada e poupada de danos desnecessários, pois a respeitamos como manifestação dos Deuses.